Maiores de 65 anos já podem pedir vacina nos Espaços Cidadão

Maiores de 65 anos já podem pedir vacina nos Espaços Cidadão

Medida entrou em vigor no dia 28 de abril e as inscrições podem ser feitas num Espaço Cidadão à sua escolha

As pessoas com mais de 65 anos já se podem inscrever para a vacinação contra a covid-19 num dos Espaços Cidadão disponíveis de Norte a Sul do País. São 700 Espaços que passam a receber as solicitações desta franja da população, numa tentativa de agilizar o processo de vacinação e, com isso, conceder uma alternativa à marcação online.

Os Espaços Cidadão são pontos de atendimento que reúnem serviços de diferentes entidades num único balcão, instalados em Lojas de Cidadão e em pontos de atendimento da administração local.

Esta nova medida surge alguns dias após a disponibilização do Portal do Auto-agendamento para Vacinação contra a Covid-19, lançado no dia 23 de abril, onde as pessoas com mais de 65 anos podem também escolher a data e o local onde querem ser vacinados.

Pode também encontrar informações adicionais sobre este e outros serviços públicos em eportugal.gov.pt

Laboratório de Atendimento Público: o novo Grupo Coordenador Intersetorial

Laboratório de Atendimento Público: o novo Grupo Coordenador Intersetorial

O LabAP pretende desenvolver estratégias e soluções para a melhoria do atendimento de serviços públicos

O Despacho n.º 4149/2021 que procede à criação do Grupo Coordenador Intersectorial «Laboratório de Atendimento Público», designado por LabAP, tem como missão propor estratégias e adotar soluções coordenadas para a promoção constante da melhoria no atendimento de serviços públicos.

A coordenação do LabAP é da responsabilidade da AMA, e é composto por dirigentes superiores dos serviços da administração direta e indireta do Estado integrados nas áreas governativas dos Negócios Estrangeiros, Finanças, Justiça, Segurança Social, Infraestruturas e Habitação, com responsabilidades e impacto relevante no atendimento.

Com a criação deste novo grupo multidisciplinar, proceder-se-á à recolha de dados do atendimento nos respetivos serviços, nomeadamente oferta, procura, tempos de espera e avaliações de satisfação pelos utilizadores, com segmentação pelos tipos de serviços prestados, localização e canais utilizados, e ainda a caracterização dos utilizadores.

Já foi apresentado o Portal Mais Transparência

Já foi apresentado o Portal Mais Transparência

A Agência para a Modernização Administrativa é responsável pela construção do portal

Uma sociedade moderna e exigente está relacionada com uma procura incessante de informação sobre novos serviços e funcionalidades, nomeadamente no que diz respeito às dinâmicas sobre o funcionamento da Administração Pública. Mais rigor, mais clareza, mais dados abertos, mais cidadania, mais confiança, mais transparência.

Foi hoje apresentado, às 15 horas, no Terminal de Cruzeiros de Lisboa, o Portal Mais Transparência. A sessão de apresentação contou com a presença do Primeiro Ministro, António Costa, o Ministro do Planeamento, Nelson de Souza, a Ministra da Modernização do Estado e da Administração Pública, Alexandra Leitão, a Comissária Europeia, Elisa Ferreira, entre outros membros do executivo.

O Portal Mais Transparência arranca com uma área temática de enorme atualidade e grande relevância para a sociedade: os fundos europeus. Esta área temática vai disponibilizar, de imediato e de forma acessível, a informação sobre o Portugal 2020 e sobre o Plano de Recuperação e Resiliência, cuja candidatura foi recentemente submetida.

A esta primeira fase, seguem-se mais três até ao final do ano, que irão acrescentar novos segmentos de informação: o Orçamento do Estado, o incremento da informação sobre os Fundos Estruturais, designadamente o Portugal 2030, e a execução do Plano de Recuperação e Resiliência. 

Na homepage do Portal podemos encontrar uma área de destaque com os principais indicadores de interesse para os utilizadores, bem como o resumo da informação disponível, o plano de evolução do Portal e links para outros sítios relacionados com o tema «transparência». 

Na área dedicada aos Fundos da União Europeia, o portal apresenta uma visão genérica do tema e trata os conceitos mais relevantes que lhe estão associados, facilitando a compreensão e a utilização pelos cidadãos.

A primeira área de destaque é o Barómetro: uma visão de genérica dos principais números sobre Fundos Europeus em Portugal, detalhando progressivamente os dados das áreas de investimento prioritárias, realizados por região e concelhos, evoluindo para o pormenor de cada projeto e beneficiários associados.

As análises acessíveis no Portal Mais Transparência resultam do processamento e apresentação dos dados disponíveis através de dados.gov.pt, o Portal Nacional de Dados Abertos, que disponibiliza uma ficha técnica sobre o cálculo dos dados.

O Portal Mais Transparência foi desenvolvido para cumprir os requisitos de acessibilidade digital, assegurando a utilização por todos os cidadãos portadores de deficiência ou limitações.

Há um conjunto de funcionalidades associadas a cada uma das áreas de dados do portal que permitem detalhar a análise da informação, nomeadamente através da apresentação de gráficos, fichas técnicas e exportação de ficheiros.

No caso da área dos Fundos Europeus, o projeto envolve a Agência para a Modernização Administrativa (AMA), com o Centro de Competências Digitais da Administração Pública (TicApp) a participar na construção do portal, e a Agência para o Desenvolvimento e Coesão (AD&C). Esta lógica de trabalho será replicada nas futuras áreas do Portal, que estão a ser desenhadas com outras entidades da Administração Pública. 

Destacam-se três grandes preocupações na conceção e construção do Portal Mais Transparência: a linguagem, simples e acessível para qualquer cidadão, a facilidade no acesso à informação, pesquisas de texto livre e com possibilidade de introduzir filtros na pesquisa, a acessibilidade, cores, padrões, fontes e diferentes formas de acesso a dados, com possibilidade de acesso em diversos tipos de dispositivos.