Publicado kit do Selo de Usabilidade e Acessibilidade

Publicado kit do Selo de Usabilidade e Acessibilidade

O Selo distingue a aplicação de boas práticas de usabilidade e acessibilidade em sítios Web e aplicações e destina-se principalmente a entidades da Administração Pública.

Decorrente da identificação de que é fundamental simplificar e tornar mais eficiente a utilização dos serviços digitais públicos, por parte dos cidadãos, a Agência para Modernização Administrativa, I.P., em colaboração com o Instituto Nacional para a Reabilitação desenvolveram o Selo de Usabilidade e Acessibilidade.

Este selo identifica e distingue a aplicação das melhores práticas de usabilidade e acessibilidade em sítios web e aplicações, promovendo a sua melhoria contínua através da aplicação do selo de Bronze, Prata e Ouro e destina-se principalmente a entidades da Administração Pública.

Usabilidade e, mais recentemente, User Experience são hoje conceitos incontornáveis na construção de qualquer tipo de presença digital. A preocupação com a interação do utilizador, a minimização das suas frustrações e a criação de uma experiência de navegação agradável, são objetivos que adquirem particular relevância quando se aplicam à presença digital dos organismos da Administração Pública.

No caso de pessoas com deficiência ou incapacidade a seleção dos requisitos levou em conta o princípio básico de "antes de usar é preciso aceder". Neste contexto, torna-se extremamente relevante eliminar todo o tipo de barreiras que impeçam estes utilizadores - utilizadores de tecnologias de apoio - de aceder aos serviços e à informação disponibilizada na Internet. Só depois de aceder podemos falar de usabilidade.

O Selo está estruturado em três níveis, correspondendo a 3 etapas de esforço diferenciadas. Cada uma destas etapas é chancelada por um Selo. O Selo Bronze chancela a conformidade para com os requisitos de nível 1. Ao nível intermédio corresponde o Selo Prata e ao nível mais elevado corresponde o Selo Ouro. Para obter o Selo Ouro, é necessário adicionar aos testes com utilizadores, os requisitos definidos para o Selo Bronze e para o Selo Prata.

O Selo de Usabilidade e Acessibilidade destina-se principalmente às entidades que estão obrigadas ao cumprimento da Lei n.º 36/2011, de 21 de junho, que estabelece a adoção de normas abertas nos sistemas informáticos do Estado, na sequência da qual surgiu o Regulamento Nacional de Interoperabilidade Digital (RNID). O último diploma que alterou a legislação que estabelece o RNID (Lei n.º 36/2011, de 21 de junho e Resolução do Conselho de Ministros n.º 2/2018, de 5 de janeiro) foi o Decreto-Lei n.º 83/2018, de 19 de outubro.

A adoção do Selo de Usabilidade e Acessibilidade permite, aos organismos públicos, não só fornecer melhores serviços digitais, mas também dar um passo importante no que concerne ao incremento da sua utilização por parte dos cidadãos.

O Kit do Selo de Usabilidade e Acessibilidade encontra-se disponível em tic.gov.pt

 

Pode encontrar mais recursos sobre usabilidade e acessibilidade web em:

Espaços Cidadão candidatos aos prémios RegioStar

Espaços Cidadão candidatos aos prémios RegioStar

Pode votar online neste projeto de atendimento digital assistido.

Encontra-se aberta a votação para os RegioStar Awards 2019, atribuídos anualmente pela Comissão Europeia. 


Estes prémios destinam-se a projetos inovadores financiados pela UE, que demonstrem excelência e novas abordagens no âmbito do desenvolvimento regional, sendo os candidatos distribuídos por cinco categorias temáticas:

  • promoção da transformação digital;
  • ligação do verde, azul e cinzento;
  • combate às desigualdades e à pobreza;
  • construção de cidades resilientes ao clima;
  • modernização dos serviços de saúde.

Um júri de especialistas selecionará os vencedores por categoria e existirá ainda um «Prémio do Público», correspondente à votação realizada no site da Comissão Europeia.

 

Os Espaços Cidadão, da AMA, são candidatos na Categoria 1: Promoção da Transformação Digital (Promoting Digital Transformation) e pode votar neste projeto de atendimento digital assistido aqui. Procure o «Portuguese Citizen Spot» e deixe o seu «like».

 

Um outro projeto português, o Boletim de Vacinas Eletrónico, da SMPS, um projeto SAMA2020, encontra-se igualmente entre os candidatos.

 

Vote!: ec.europa.eu/regional_policy/en/regio-stars-awards/2019/categ1

Novo Portal de Contraordenações Rodoviárias com autenticação CMD

Novo Portal de Contraordenações Rodoviárias com autenticação CMD

Nesta nova plataforma, o registo pode ser feito por pessoas singulares, pessoas coletivas e mandatários.

Foi em 2016 que Portugal passou a ter a carta de condução por pontos.  A adoção deste sistema teve como objetivo o aumento da transparência neste setor, promovendo comportamentos mais seguros e responsáveis de todos os agentes rodoviários.

Neste sentido, para tornar mais simples o acesso à informação por parte de cada condutor, a Autoridade Nacional de Segurança Rodoviária (ANSR) lançou um novo portal de contraordenações rodoviárias, onde os condutores podem verificar toda a informação atualizada através de uma área privada.

Nesta nova plataforma, o registo pode ser feito por pessoas singulares, pessoas coletivas e mandatários.

O acesso à plataforma pode ser feito através do Cartão de Cidadão e da Chave Móvel Digital. Desta forma, é mais uma porta que se abre num organismo do setor público e que permite ao condutor, a consulta de processos, do cadastro e o total de pontos acumulados, de uma forma segura e intuitiva.