Web Content Display

Organização das Nações Unidas (ONU)

Relatório que avalia as condições de desenvolvimento do governo eletrónico em todos os Estados-Membros da Organização das Nações Unidas, apresentado um ranking de desempenho em diferentes dimensões.
 
 
 
 
  • A Inteligência Artificial na sociedade

    Relatório que mapeia o panorama técnico e económico, casos de estudo e políticas de Inteligência Artificial, e identifica as principais considerações em matéria de políticas públicas.

  • Princípios de Inteligência Artificial

    Adotados em maio de 2019 pelos países membros da OCDE, este princípios promovem uma inteligência artificial inovadora e confiável, que respeite os direitos humanos e os valores democráticos.

Roteiro que apresenta novas perspetivas sobre o estado da transformação digital, fazendo um levantamento de indicadores numa série de domínios setoriais e comparando os com questões de política digital.
 
Conjunto de recomendações que visam apoiar a transformação digital da Administração Pública e a consequente disponibilização de serviços públicos mais eficientes e orientados para as necessidades dos cidadãos e empresas. 
 
Documento que aborda conceitos relacionados com a "economia dos dados" e respetiva governação, ao nível nacional e internacional. Neste contexto, são focados temas como a disponibilidade, acessibilidade. 
 
Relatório que examina as oportunidades para fomentar a partilha de dados, abordando, quer o valor social e económico da reutilização de dados, quer os riscos e desafios associados. 
 
Estabelece uma série de recomendações para apoiar a  adoção de políticas focadas na segurança digital de atividades críticas, sem comprometer os benefícios da transformação digital em setores críticos (por exemplo, restringindo desnecessariamente o uso das tecnologias digitais).

Uma ferramenta que permite aos países avaliar o ponto em que se encontram em termos de desenvolvimento digital e formular estratégias e respostas em conformidade.

Tem por objetivo apoiar governos e instituições públicas a enquadrar as suas políticas e práticas de inovação.

Pretende estimular o desenvolvimento e implementação das estratégias nacionais de governo digital, promovendo a utilização deste como instrumento de aproximação entre cidadãos, empresas e governos. 

Analisa 542 iniciativas, de 84 países, identificando as principais tendências de inovação ao nível governamental e global, em 2019.
 
Procura estabelecer padrões internacionais para que a implementação desta tecnologia seja realizada de forma segura, imparcial e fiável.
 

Tem por fim providenciar uma visão global do estado da arte das políticas de dados abertos de governos da OCDE, mas também de Estados parceiros. 

Mede e avalia o desempenho de dezenas de administrações públicas, através da análise de mais de 200 indicadores que cobrem as diferentes áreas governativas. 

Procura identificar e analisar eventuais benefícios, riscos e constrangimentos da utilização de Inteligência Artificial na Administração Pública.

 

 

União Europeia (UE)

Quadro de referência com orientações específicas sobre a criação de serviços públicos digitais interoperáveis, através de 47 recomendações concretas, para um mercado único digital na Europa.

Página da Comissão sobre o ecossistema de dados abertos na Europa.

O esforço da Comissão Europeia para garantir que todos possam contribuir e beneficiar da economia e sociedade digitais, desde quadros legislativos ao investimento em competências digitais.

Os principais facilitadores tecnológicos, componentes centrais do Mercado Único Digital, para transações digitais transfronteiriças seguras.

Página da Comissão sobre a promoção de serviços públicos digitais para fomentar maior eficiência, maior transparência e maior participação dos cidadãos na vida política.

Define as linhas prioritárias para o setor público no domínio do governo eletrónico, apresentando um conjunto de medidas concretas para coordenar os esforços e recursos das Administrações Públicas europeias e da Comissão Europeia.

Assinada em outubro de 2017, esta declaração marca um novo compromisso político dos Estados-Membros para garantir serviços públicos digitais transfronteiriços e de alta qualidade, para os cidadãos e empresas.

Atualizadas anualmente, sintetizam informação sobre o panorama de governo digital e serviços públicos digitais disponibilizados pelos vários Estados-Membros.
 
Visa contribuir para o acesso de todos os cidadãos ao mercado interno único, apresentando requisitos de acessibilidade aplicáveis a certos produtos e serviços.
 
Define a criação e o funcionamento de uma Plataforma Digital Única que oferece aos cidadãos e às empresas um acesso fácil a informações fidedignas e a serviços eficientes na União Europeia.
 
Estabelece as condições para o reconhecimento e aceitação de meios de identificação eletrónica entre os Estados-Membros.
 
Determina um conjunto de regras para promover a reutilização de dados abertos e estimular a inovação em produtos e serviços.
 
Conjunto de disposições gerais que facilitam o exercício da liberdade de estabelecimento dos prestadores de serviços e a livre circulação dos serviços no mercado interno, mantendo um elevado nível de qualidade dos serviços.
 

Ferramenta que pretende ajudar as equipas a fornecer serviços públicos digitais mais rapidamente e a cumprir a regulamentação de forma a tornar o mercado único digital uma realidade.

 

 

Programas de financiamento europeu
 
O programa CEF TELECOM (2014-2020) visa promover a articulação transnacional entre as administrações públicas, os cidadãos e as empresas da União Europeia, apoiando o desenvolvimento de  componentes-base dos serviços digitais interoperáveis como por exemplo a identificação eletrónica, a tradução automática, e os dados abertos, entre outros.
Pode consultar aqui os projetos que incluem entidades Portuguesas.
 
O H2020 (2014-20120) configura o maior programa da Comunidade Europeia para apoio à Investigação e Inovação, compreendendo 3 grandes eixos de ação: Excelência Científica; Liderança Industrial; e Desafios Societais.
Pode consultar aqui os projetos que incluem entidades Portuguesas.

 

 

Outras fontes de informação

Carta de Princípios da Open Government Partnership, que visam «fomentar uma cultura global de governo aberto, dando mais poder aos cidadãos e promovendo os ideais de governo aberto e participativo».
 
Conjunto de diretrizes que têm como objetivo apoiar governos, sociedade civil e outras partes interessadas a promover a participação cívica e a co-criação em todas as etapas do ciclo de governo aberto da OGP.
 
Datado de 2018 e com foco na América Latina, visa demonstrar o impacto positivo das medidas de simplificação administrativa e de governo digital no dia-a-dia dos cidadãos e empresas.
 
Resulta da partilha de boas práticas do Simpósio do CLAD de agosto de 2018 sobre governo aberto.